Bio

DSC8060-26
A primeira coisa que quis ser na vida foi egiptólogo. Depois arquitecto. Fui o tipo irritante de adolescente que tinha 20’s a matemática sem estudar. Aprendi línguas estrangeiras motivado pela paixão de conhecer novas culturas e formas de estar na vida, e foi assim também que comecei a usar a “banda do cidadão”, uma espécie de internet antes da internet, via rádio.

Entrei em várias bandas na explosão do rock português nos anos 80 e consegui em 1983 um contrato com a Polygram.

Sou licenciado em Engenharia Informática pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (85-90), onde me apaixonei pela computação gráfica, numa época em que o ZX Spectrum reinava, um PC era um objecto de luxo movido apenas a disquetes e o Windows era uma curiosidade recente (quase) inútil.

Participei na fundação, desenvolvimento e venda de duas empresas de new media e webdesign: Autor – vendida à OniTelecom (EDP+BCP) em 2001 – e Theria – vendida à Yunit (BES+CGD+PT) em 2009, e onde trabalhei ainda até ao final de 2011.

Tenho ampla experiência de gestão de projectos, não só para clientes nacionais, como também em projectos europeus, onde trabalhei com parceiros como a Philips, na Holanda, ou a Vitec, em França.

Criei um projecto de trocas e vendas online, chamado OneFairMarket, em 2012, mas infelizmente tive de o descontinuar, apesar da visibilidade internacional alcançada, incluindo  referências no Guardian (Is bartering better? e A barter way of doing business), devido à forte e crescente presença de sites similares, dotados de orçamentos característicos de multinacionais, contra os quais não posso competir. Continuo a acreditar que o mundo das trocas tem muito mais para explorar e oferecer do que o que existe actualmente, e sei que o meu projecto tinha características únicas e diferenciadoras, mas também acredito que não posso estar sozinho nesta certeza, e por isso espero outra oportunidade para relançar o OneFairMarket.com .

Participei em exposições colectivas, destacando o espaço Montepio, em 2001, e em 2002 a Galeria Municipal Gymnásio, em Lisboa. Mais recentemente tive o prazer e o privilégio de poder ter a minha exposição “Love Wave” na Quinta da Regaleira, em Sintra, durante 3 meses, entre 15 de Julho e 15 de Outubro de 2012, onde a mesma contou com mais de 6.000 visitantes, e também na StoryTailors Store, em Lisboa, ao Chiado, em Junho de 2013. Em Maio de 2014 inaugurei nova exposição individual na Galeria Municipal de Monsaraz – Igreja de Santiago, integrado no programa Monsaraz Museu Aberto.

Estou ainda envolvido em projectos musicais para os quais desenvolvo, para além das componentes musicais, a comunicação e imagem. Produzi ainda sonoplastia para teatro, para além de ter feito a comunicação gráfica e online para as respectivas peças (duas encenações do saudoso António Rama – “o Cerejal”, de Anton Chekov e “Alvorecer”, uma encenação de poemas de Sophia de Mello Breyner e Eugénio de Andrade – e uma produção para a UAU no Teatro Villaret – Gil’s Lovers, baseada em textos de Gil Vicente).

Sou auto-didacta em realização cinematográfica e produzi algumas peças audio-visuais das quais muito me orgulho: “What I Will”, um vídeo musical sobre um tema também composto por mim e que teve destaque na MTV World Production; “O que é o Amor”, uma curta-metragem documental para a minha exposição LoveWave na Quinta da Regaleira, e mais recente um vídeo de homenagem a António Rama, actor e encenador, falecido em 2013. Todas estas peças (e mais) estão disponíveis em http://vimeo.com/alvesdaveiga/videos .

Mais informações: about.me/pedroveiga e
www.facebook.com/PedroAlvesDaVeiga